Curto circuito na instalação elétrica: o que fazer

29/11/2018   |    Dicas  Destaque Home

No ramo da eletricidade um dos problemas mais comuns são os curtos circuitos. Eles podem acontecer em diferentes níveis da rede elétrica, desde uma tomada até a ligação no disjuntor.

Este tipo de problema costuma causar bastante prejuízo, podendo queimar um aparelho eletrônico ou danificar diversos fios. Em casos mais estremos o curto circuito pode ser responsável por um incêndio maior e acabar destruindo um imóvel.

Na maioria das vezes os curtos circuitos acontecem por falha humana, seja na instalação ou no uso dos equipamentos do dia a dia. Desde fios de diâmetro errado até sobrecarga da rede, o curto circuito pode acontecer a qualquer momento com quem não coma cuidado.

Confira um pouco mais sobre este tipo de problema neste artigo da Esgotecnica!

O que é o curto circuito?

O curto circuito acontece quando há um aumento repentino da carga elétrica em um fio ou aparelho. De forma bem simples, equipamentos e fios são feitos para aguentar até uma cerca carga, quando ela é ultrapassada os componentes não resistem ao calor e derretem ou explodem.

Isso acontece bastante com instalações onde a bitola do fio é de um diâmetro menor do que o exigido pelo equipamento. Isso faz com que o fio superaqueça e leva ao desarme do disjuntor para evitar problemas maiores.

Esta sobrecarga também pode acontecer o ligar equipamentos 110v em tomas 220v. Outra situação comum para o favorecimento do curto circuito é muitos equipamentos ligados à uma mesma tomada, mesmo com o uso de réguas.

Os equipamentos aumentam a passagem de energia pelos fios da tomada, podem elevar a temperatura e causar um curto circuito por derretimento.

Outra situação é quando o curto é fechado por algum motivo. Fios desencapados quando encostam um no outro podem gerar faíscas, queimar equipamentos ou começar um incêndio. Apesar de não ser algo normal, é possível de acontecer.

Como identificar um curto circuito

Os curtos circuitos são fáceis de serem notados, principalmente quando acontecem por fios desencapados. Porém, eles podem ser mais silenciosos e danificarem o imóvel ao longo do tempo, sem que você perceba indícios visuais.

Alguns dos principais sinais de curto circuito são:

  • Cheiro de queimado – Geralmente este é o primeiro indicativo de que há algo errado com alguma instalação ou equipamento eletrônico. O cheiro de queimado vem dos componentes de plástico que não suportam a carga térmica e derretem, assim como a capa dos fios. O cheiro é geralmente forte e tende a durar bastante tempo, o odor é o mesmo de plástico queimado.
  • Tomadas manchadas – Também por causa da queima do plástico (que tem fumaça preta) algumas partes da instalação podem ficar manchadas de preto e com aspecto de queimadas.
  • Lâmpadas e equipamentos com tempo de vida útil reduzido – A sobrecarga elétrica pode fazer com que os equipamentos parem de funcionar pelo tempo determinado. Se você está notando que algumas lâmpadas queimam muito rápido, o u tem equipamentos eletrônicos que estragam com frequência, é provável que haja um curto.
  • Quedas de energia constantes – Geralmente quando há um curto circuito em um imóvel, existe uma queda de energia constante, muitas vezes causada pelo desarme do disjuntor. O disjuntor é responsável por garantir que o curto não inicie um incêndio e danifique o imóvel. Se o disjuntor continua desarmando sem motivo aparente, há um curto em algum lugar.

Curto circuito – o que fazer?

Se o curto circuito for imediato, como acontece em equipamentos em voltagem errada, desligue o aparelho da tomada e verifique os fusíveis (geralmente eles queimam e evitam que o resto dos componentes sejam danificados). Realize a troca do fusível e volte a ligar o equipamento na voltagem correta (equipamentos bivolt possuem chave de seleção de corrente).

Se o curto for em alguma parte da instalação elétrica e vem acontecendo a mais tempo, é importante procurar a causa do problema. Procure por pontos de sobrecarga, como muitos equipamentos em uma única tomada e tente resolver o problema.

Pode ser que o curto não tenha um motivo tão aparente, que é o caso de bitolas de tamanho incompatível. Nestes casos é preciso chamar ajuda profissional para diagnosticar e resolver o problema.

Este é um reparo que deve ser realizado como emergência, já que um curto pode causar um incêndio. Até tudo ser solucionado é necessário usar o mínimo possível da rede elétrica para evitar novos curtos.

Como evitar um curto circuito

A principal dica para evitar um curto circuito é nunca descuidar do uso da rede elétrica ou da sua montagem. O primeiro passo é garantir que a instalação e os reparos elétricos sejam feitos por pessoas capacitadas e devidamente preparadas.

O segundo passo importante é usar a rede elétrica com cuidado, nunca ligando vários equipamentos em uma única tomada, mesmo usando réguas e nem usar equipamentos com carga maior do que a rede elétrica necessita.

 

Fonte: Esgotenica


DEIXE SEU COMENTÁRIO