Iluminação Residencial: 7 Dicas para uma iluminação perfeita

13/12/2018   |    Dicas  Destaque Home

Nada melhor do que um ambiente bem iluminado. Além da simples função de clarear os cômodos da residência, a iluminação residencial tem o poder de trazer conforto e aconchego para uma casa.

Apesar de muitas pessoas acreditarem que iluminar uma casa é apenas espalhar lâmpadas pelos cômodos, existem técnicas e procedimentos por trás de uma iluminação adequada. Desde a iluminação de uma residência simples a um grande empreendimento, o bom dimensionamento das instalações faz uma grande diferença.

Para residências sofisticadas ou grandes empreendimentos surge a necessidade de um projeto luminotécnico. O desenvolvimento deste tipo de projeto tem como objetivo a especificação e o dimensionamento da iluminação adequada para cada cômodo e sua respectiva utilização.

É certo que a iluminação residencial tem tomado uma nova perspectiva. Além do objetivo de iluminar, existe hoje uma preocupação com o aspecto decorativo da iluminação. Pois, esta tem grande potencial para criar um clima propício à cada atividade, dar amplitude aos espaços, destacar elementos de decoração, tornar ambientes mais agradáveis e economizar energia.

7 Dicas para uma iluminação residencial perfeita

Apenas este artigo não resolverá todos os seus problemas e não terá todas as respostas necessárias. Mas, acredito que as informações abaixo irão contribuir significativamente para que você tenha uma iluminação adequada em sua obra. Confira a seguir as 7 dicas para uma iluminação perfeita.

1 – Avaliação do ambiente:

O primeiro passo é a avaliação do ambiente. É importante que você verifique qual o tipo de atividade que será realizada no cômodo, por exemplo, se é uma cozinha, um quarto ou um escritório.

Além disso, é importante que você avalie o estilo do cômodo, a decoração e o acabamento. É importante verificar a possibilidade de um forro de gesso rebaixado ou qualquer outro detalhe específico para a iluminação.

2 – Faça uma iluminação econômica:

A economia é uma exigência em qualquer tipo de construção, toda a edificação deve ser pensada de forma econômica e enxuta. Isso não é diferente para a iluminação.

A escolha de uma iluminação econômica não se limita simplesmente à instalação inicial dos equipamentos, mas principalmente a escolha de equipamentos e luminárias que gerem economia durante a utilização ao longo dos anos.

3 – Utilize de forma adequada os tipos de iluminação:

Para conseguir todos os benefícios que uma boa iluminação pode trazer para o ambiente é importante que você utilize de forma adequada os tipos de iluminação. Veja a seguir:

  • Iluminação Geral: é a iluminação que ilumina todo o espaço, trazendo conforto visual ao ambiente. Quando bem trabalhada faz com que a iluminação seja eficiente e econômica;
  • Iluminação Indireta: é muito utilizada para gerar um conforto visual, além de destacar elementos específicos de decoração. Para este tipo de iluminação são indicadas as arandelas, abajures, colunas e fitas de LED;
  • Iluminação de Tarefas: é uma iluminação que deve ser trabalhada com cuidado, pois ilumina diretamente um local onde será realizada determinada tarefa. Erros nesta iluminação podem gerar sombras inadequadas e até mesmo um desconforto visual de utilizar o ambiente. É uma iluminação utilizada em espaços para leitura, escrita, cozinha e jogos.

4 – Escolha a temperatura de cor da lâmpada adequada:

Outro fator importante para que você tenha uma iluminação perfeita é a escolha da temperatura de cor da lâmpada. Existem diversos tipos de temperatura de cor e cada tipo é adequada para um ambiente específico.

Por exemplo, em áreas destinadas ao trabalho, como escritórios e cozinha é usual utilizar uma lâmpada branco frio. Agora para ambientes que necessitam ser mais aconchegantes, como os ambientes destinado a descanso como o quarto e a sala já é indicado a utilização de um branco quente.

5 – Faça uma compatibilização com o projeto elétrico:

É importantíssimo que o projeto de iluminação de sua residência esteja compatibilizado com o projeto elétrico. O correto é, definir primeiro o projeto luminotécnico e em seguida elaborar o projeto elétrico da residência.

É importante que seja repassado para o responsável pelo projeto elétrico todas as funcionalidades que você espera da iluminação. Detalhes como apagadores específicos para determinada luminária ou circuitos independentes para partes da iluminação de decoração.

6 – Trabalhe dentro de sua realidade financeira:

São inúmeras as opções de produtos e técnicas para desenvolver uma boa iluminação.

É certo que existem as mais sofisticadas e as mais simples, um condicionante que não podemos esquecer é o preço. Por isso, verifique antes de desenvolver o a iluminação residencial os valores dos produtos que você deseja colocar em sua obra.

Além disso, quanto mais complexa for a iluminação desenvolvida mais onerosa será a instalação elétrica por trás dela. É possível ter uma iluminação perfeita com um custo adequado ao seu orçamento. O importante é desenvolver um estudo adequado do que será viável para o seu bolso.

7 – Escolha produtos de boa qualidade:

Economiza com produtos de qualidade duvidosa é um grande erro. Além de não produzirem o efeito desejado na iluminação residencial, possuem um tempo de vida útil inferior.

Por isso, na escolha das luminárias, lâmpadas, elementos da instalação elétrica e demais equipamentos faça a opção por produtos de boa qualidade comprovada.

Caso você não tenha experiência com a compra destes produtos o melhor a fazer é procurar ajuda com profissionais especializados. Outra forma é buscar pela internet comentários e reclamações a respeito de determinadas marcas.

Não coloque em risco a sua iluminação com produtos ruins.

 

Fonte: Engenharia Concreta


DEIXE SEU COMENTÁRIO