Medir com precisão

06/02/2018   |    Dicas  Destaque Home

A busca por qualidade, segurança e inovação têm movimentado o mercado dos instrumentos de teste e medição em tempos de desaceleração econômica.
O segmento de instrumentos de teste e medição sempre teve como marca registrada o desenvolvimento tecnológico. Mesmo com o mercado afetado pela forte crise político-econômica, os investimentos na chamada tecnologia de precisão continuam a todo vapor, até porque o consumidor e o profissional desta área são bem exigentes.
Muitos dos aparelhos que eram somente analógicos, por exemplo, ganharam suas versões digitais, além de designs cada vez mais compacto. Difícil é mensurar o tamanho desse mercado, considerando sua amplitude e pulverização, mas o crescimento tem sido expressivo nos últimos anos, alavancado também pelo comércio eletrônico.
“O mercado encontra-se em expansão em função de alguns fatores importantes como inovação, diversificação de produtos, automatização de processos e maior grau de complexidade das aplicações”, diz Éder Silva, gerente nacional de Vendas da Fluke. “Nota-se um movimento crescente na indústria para reduzir custos por meio de um controle maior dos processos. Daí o aumento dos investimentos em manutenção preditiva, inovação das aplicações e foco na redução do desperdício”.

 

A Minipa é um dos fabricantes com tradição em instrumentos de teste e medição, estabelecida há 37 anos no mercado brasileiro. Sua linha de produtos conta com mais de 200 itens, que atendem os segmentos profissional, industrial e educacional. São multímetros, alicates digitais, ferramentas elétricas, equipamentos para temperatura
e ambiente, calibradores de processo, instrumentos para construção civil e mercado automotivo, instrumentos de bancada, entre outros. “Estamos mantendo o ritmo de vendas mensal e atribuímos essa conquista à tradição da nossa marca e à confiança dos nossos clientes. A relação custo versus benefício oferecida por nossos produtos é muito vantajosa”, afirma o diretor da empresa, Paulo Simões.

Segundo o executivo, a retomada do crescimento das indústrias e do PIB brasileiro são fatores muito relevantes para impulsionar as vendas desse tipo de produto, bem como a economia em geral. “Novas indústrias ou ampliações e modernizações das plantas existentes são sempre possibilidades de novos negócios”, diz Simões. “O volume de vendas desse segmento vem se mantendo estável nos últimos anos, mas as perspectivas para os próximos anos dependem muito do cenário econômico do País”,analisa Simões.

Os principais usuários de instrumentos de teste e medição são indústrias em geral, concessionárias de energia elétrica, construção civil, mercado automotivo, empresas de telecomunicações, instituições de ensino (escolas técnicas e universidades), empresas prestadoras de serviços, hobbistas, distribuidores e revendedores, e profissionais que trabalham com elétrica, eletrônica, manutenção e segurança do trabalho.

Algumas empresas adotam como estratégia de marketing e vendas investir no profissional do amanhã, estreitando o relacionamento com escolas técnicas e universidades. Nessas ações, os equipamentos são disponibilizados nos laboratórios dessas instituições de ensino para que os estudantes criem vínculos com a marca durante o processo de aprendizagem.

 

A escolha do produto

Nesse setor, quatro pontos são importantes na hora de optar por um equipamento: inovação, seleção, suporte e, principalmente, segurança.

✖ Inovação: Há diversas opções de equipamentos que permitem ao cliente obter o máximo de resolução de problemas em um único equipamento. Por exemplo, a Flir lançou recentemente um alicate amperímetro com câmera infravermelha integrada (Flir CM174): este instrumento, além de permitir que o eletricista encontre e resolva problemas em menor tempo, protege o profissional da exposição a riscos em situações extremas de mau contato em painéis elétricos.

✖ Seleção: Procurar sempre analisar mais de um modelo, para ter certeza que a faixa de medição do equipamento irá suprir a necessidade. Tirar todas as dúvidas técnicas antes de efetuar a compra.

✖ Suporte: Verificar se a empresa fornecedora possui serviços de pós-venda, como manutenção e calibração. Afinal, o cliente busca atendimento prestativo, rápido, soluções com garantia e em tempo recorde.

✖ Segurança: Na área elétrica, infelizmente, grande parte dos profissionais utiliza equipamentos com categorias de proteção inferior às suas necessidades. É fácil encontrar, por exemplo, multímetros ou alicates amperímetros em lojas de materiais elétricos e homecenters sem menção à categoria de proteção, o que é um grande risco. “O consumidor deve checar se o produto escolhido está em conformidade com as normas vigentes e avaliar em que ambiente ele será usado, de modo a evitar acidentes”, alerta Cristiano Molica, gerente Técnico da Instrutherm.

Não são muitas as empresas de instrumentos de teste e medição com fabricação local, porém, há muitos importadores de origem asiática. De acordo com Molica, encontra-se no mercado todo tipo de equipamento, inclusive os que não cumprem as exigências normativas, aqueles que apresentam componentes de baixo custo (má qualidade) e vida útil abaixo do esperado.

“Sendo assim, aumentam as chances de ocorrer problemas, como resultados não confiáveis das medições, tempo de
durabilidade do equipamento abaixo do prazo de garantia, riscos de explosão e incêndio, entre outros”, aponta o gerente da Instrutherm.

Há muitas empresas que não garantem a qualidade e segurança dos seus produtos, além de não darem suporte ao cliente no pós-venda. Melhoria na fiscalização dos órgãos competentes e maior entendimento por parte dos profissionais resolveriam boa parte dos problemas. Mais uma vez, vale dizer que a falta de qualidade e segurança desses equipamentos podem colocar a vida do usuário em risco, podendo causar acidentes graves ou até fatais.

“Na Minipa, todos os instrumentos de medição passam por um rigoroso controle de qualidade. Temos uma equipe dedicada ao teste de todos os produtos, um a um, e somente aqueles aprovados por nossos técnicos são comercializados e entregues aos nossos distribuidores em todo o País”, informa Simões.

São muitas as normas que regem os equipamentos de teste e medição, principalmente na área de segurança do trabalho. Entre as nacionais, existem as normas regulamentadoras (NR), normas da Fundacentro, normas ABNT NBR e portarias do Inmetro. No campo internacional, IEC, ISO, ANSI, entre outras. “Hoje, a calibração com emis-
são de certificado também é um bom filtro para aqueles equipamentos que não atendem normas específicas”, lembra Molica.

 

Por Fabio Flandoli

Fonte: Eletricista Consciente


DEIXE SEU COMENTÁRIO