Os dez erros comuns ao testar eletricidade

10/07/2018   |    Dicas  Destaque Home

Qualquer pessoa que ganha a vida trabalhando com eletricidade desenvolve rapidamente um respeito saudável por qualquer coisa que tenha uma possibilidade remota de estar “viva”

Entretanto, a pressão para terminar o trabalho dentro do prazo ou fazer com que um equipamento de missão crítica volte à atividade pode provocar descuidos e erros incomuns até mesmo dos eletricistas mais experientes. A lista a seguir foi feita para servir como um lembrete rápido daquilo que não se deve fazer ao medir eletricidade:

  1. Trocar o fusível original por um fusível mais barato

Se o seu multímetro digital cumpre com os padrões atuais de segurança, esse dispositivo é um fusível especial de areia, projetado para estourar antes que a sobrecarga chegue às suas mãos. Ao trocar o fusível do DMM certifique-se de usar um fusível autorizado.

  1. Usar um pedaço de fio ou metal para “desviar” totalmente do fusível

Isso pode parecer um bom e rápido reparo para situações em que você não tem um fusível extra, mas é esse fusível que pode protegê-lo de um pico de energia.

  1. Usar uma ferramenta de teste inadequada para a tarefa

É importante que o DMM seja adequado para o trabalho a ser feito. Certifique-se de que a ferramenta de teste tenha a classificação correta de categoria para cada trabalho que você faz, mesmo que isso exija a troca de DMMs ao longo do dia.

  1. Escolher o DMM mais barato

Afinal, você pode atualizá-lo depois, não é? Talvez não, se você sofrer um acidente porque a ferramenta barata na verdade não tinha os recursos de segurança que afirmava ter. Procure testes de laboratórios independentes.

  1. Deixar os óculos de segurança no bolso

Tire-os do bolso e use-os – é importante. Isso vale também para as luvas com isolamento e a roupa à prova de fogo.

  1. Trabalhar em um circuito vivo

Desenergize o circuito sempre que possível. Se a situação exigir o trabalho em um circuito vivo, use ferramentas com isolamento adequado, utilize óculos de segurança, tire o relógio e as jóias, permaneça sobre um tapete isolado e use roupas à prova de fogo em vez de roupas comuns.

  1. Deixar de usar procedimentos adequados de lockout (bloqueio) / tagout (colocação de avisos)
  2. Ficar com as duas mãos no teste

Não faça isso! Ao trabalhar com circuitos vivos, lembre-se de um velho truque dos eletricistas: ficar com uma das mãos no bolso. Isso diminui a possibilidade de fechar um circuito ao longo do tórax, passando pelo coração. Se possível, pendure ou apóie o medidor. Tente evitar segurá-lo nas mãos para evitar a exposição aos efeitos dos transientes.

  1. Menosprezar as pontas de prova

As pontas de prova são um componente importante da segurança do DMM. Além disso, certifique-se de que as pontas de prova correspondam ao nível de categoria do trabalho. Procure pontas de prova com isolamento duplo, conectores de entrada reforçados, proteção para os dedos e superfície que não escorrega.

  1.  Continuar usando indefinidamente uma ferramenta de teste antiga

As ferramentas de teste atuais contêm recursos de segurança que antes eram desconhecidos e que justificam o custo da atualização do equipamento, além de serem muito mais baratas do que uma ida ao pronto-socorro.

Entendendo as categorias de segurança

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Fluke


DEIXE SEU COMENTÁRIO